QUE SABEMOS NÓS?

QUE SABEMOS NÓS?

De onde viemos? O que devemos fazer? Para onde vamos? Por que estamos aqui? O que é e qual o sentido da vida? Da vontade de descobrir as respostas para estas questões nasceu este blog.

quarta-feira, janeiro 31, 2007

A Matrix e a nossa mente

Segue abaixo mais um post na linha "Matrixiana" com um texto retirado do livro Matrix-BemVindo ao Deserto do Real :

Olhar para a Matrix é olhar para a nossa Mente

Olhar para Matrix é olhar para a nossa mente. Ela está programada para nos dar todas as respostas (mesmo erradas), com uma capacidade gigantesca de criação e autopreservação. Ao mesmo tempo que realiza os nossos desejos, escraviza-nos a eles.

O mundo moderno é fruto da Matrix, tudo a nossa volta nasceu dela (da mente ou Matrix, como preferir), desde a bateria de seu relógio de pulso à nossa língua, à moral, à filosofia e à ciência.

Não vemos o mundo como ele é, mas sim como os nossos sentidos o captam. Uma rosa vermelha é todas as cores, menos o vermelho. Ela absorve as outras cores e reflete o vermelho.

Além disso, tudo o que é captado pelos sentidos é interpretado pela programação do cérebro. Este programa foi criado, de um lado, pela seleção evolutiva natural a todas as espécies e, de outro, por nossas próprias criações. Programas gerando programas, dando origem ao que chamamos de sociedade.

Ao olharmos à nossa volta, veremos um reflexo de nós mesmos, de nossos sonhos e pesadelos materializados, produzidos na Matrix e tornados "reais". Esta realidade virtual é onde vivemos com nossas leis, normas, nossos sinais e tantos outros elementos artificiais criadas pela Matrix.

Este gigantesco Software de gerenciamento é alimentado por cada microprograma, ou seja, nós. Quando "crio algo", insiro um novo programa na Matrix; se esse programa lhe for útil ele é agregado. Um bom exemplo são produtos e marcas que existem há décadas.Mas se eu sou um revolucionário, um terrorista, e crio uma idéia contrária à Matrix(o status quo), sou um vírus. Naturalmente os mecanismos de defesa dela serão lançados contra mim: O antivírus.

Podemos pensar em uma pessoa como Giordano Bruno, que, no século XIV, já acreditava em outros mundos e em vida em outros planetas e punha em xeque todas as concepções da Igreja (concepções oficiais), sendo, desta forma, condenado à morte ou, se preferirmos, deletado.

Fonte:*Livro: Matrix-BemVindo ao Deserto do Real *Autor: William Irwin *Editora:Madras

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Somos "pilhas" do Sistema?


Quer você queira ou não, você vive em um mundo capitalista, no qual as pessoas subsistem da renda de algum produto, do pagamento por algum serviço, ou em decorrência de lucros de uma aplicação financeira etc. Você vive em um sistema capaz de fornecer algum tipo de atividade, na razão direta entre o trabalho fornecido e a energia despendida a este sistema, por você. Ou seja, você quem abastece com algum tipo de trabalho energético todo este conjunto social e político, transforma uma energia em outra e recebe-a de volta na forma de rendimentos, ou seja: Dinheiro.
Como este conjunto de instituições políticas e sociais criado pelo ser humano precisa sobreviver muito mais do que você, a energia que ele devolve quase sempre é muito menor do que aquela que você cedeu, e neste caso as suas posses são sempre inferiores às suas necessidades, e exatamente por esta razão a grande maioria da população é pobre. Você trabalha vinte e quatro dias, mas recebe uma única vez; executa várias atividades, mas recebe somente por uma. Não bastasse isso, o sistema é selvagem, porque ainda arrumou uma maneira de lhe ceder energia, mas de outra forma a retira antes que você complete o ciclo de 30 dias, ou seja: pela transferência obrigatória de parte dessa energia que você recebeu pelo seu trabalho, uma parte volta ao sistema com o nome de imposto. Veja: você paga impostos sobre a própria energia "a menor" que recebe pela energia "a maior" que entrega ao sistema a cada 30 dias em média. Assim, a energia que o sistema dispensa a você é aquela que ele julga suficiente para que continue a viver, como operário, durante um período de vida útil; posteriormente
ele o descarta. Após este período, é bem possível que você seja feliz porque comprou uma casa, carro do ano, e seus filhos estudaram e possuem curso superior e perseguirão todo o ciclo selvagem. Mas ainda assim é uma minoria.
Imagine que você ganha uma pequeníssima fração de energia do sistema e entrega uma grandessíssima energia do seu corpo durante o mesmo período de 30 dias. Bem, neste caso o sistema é ainda mais selvagem, pois ele é esperto e inteligente (e, foi criado, por nós, humanos). Ele não "desconta" nenhuma outra parcela da pequeníssima energia que está lhe devolvendo, mas, sem que você saiba, astutamente subtrai parte da energia embutida nos recursos energéticos considerados indispensáveis ao seu sustento: o alimento embalado devolve energia (paga imposto) com a sua irrisória energia
recebida, o seu miserável salário! Resumindo: o equilíbrio natural ocorre quando você cede ao sistema a mesma quantidade de energia que dele recebe, portanto vivemos em um sistema em desiquilíbrio...É só olharmos a situação econômica e a saúde física e mental de 99% das pessoas no final de suas vidas. Você pode até achar que isso é assim mesmo, que é normal. Pode até ser "normal", mas é justo?

sábado, janeiro 20, 2007

A Vida segundo Osho

1.- A vida é viver - Não é uma coisa, é um processo. Não existe forma de conhecer de conhecer o que é a vida, a não ser vivendo, estando vivo, fluindo, discorrendo com ela. Se buscas o significado da vida em algum dogma, numa determinada filosofia, numa teologia, fique certo de que perderás o que é a vida e seu significado. A vida não está te esperando em nenhum lugar, em nenhuma parte, está sucedendo-te. Não se encontra no futuro como uma meta a ser alcançada, está aqui e agora, neste mesmo momento, em teu respirar, na circulação do teu sangue, e nas batidas de teu coração. Qualquer coisa que sejas é tua vida e se te colocas a buscar significado em outra parte, tu a perderás.

2.-A vida é insegurança. A cada momento te diriges para uma insegurança maior. É um apostar. Nunca se sabe o que vai acontecer. E é belo que nunca se saiba. Se fosse prescindível, não valeria a pena viver a vida. Se tudo fosse como se gostaria que fosse e se tudo fosse uma certeza, não serias um homem, serias uma máquina. Só existem certezas e seguranças para as máquinas.

3.- A vida é um mistério; quanto mais a conheces, mais bela se torna. Chega um momento quando, de repente, começas a vivê-la, começas a fluir com ela.

4.- A vida não é uma tecnologia, nem uma ciência. A vida é uma arte,... tens que senti-la. É como caminhar numa corda bamba.

5.- A melhor forma de perder a vida é ter um certo controle sobre ela.

6.- Depende de ti. A vida em si mesma é um tela em branco, se converte em qualquer coisa que tu pintes nela. Podes pintar infelicidade, podes pintar felicidade. A escolha é tua. Esta liberdade é tua glória.

7.- Minha mensagem é muito simples: viva a vida tão perigosamente como te seja possível. Viva a vida totalmente, intensamente, apaixonadamente, porque a vida é o único Deus.

8.- Primeiro te converte num Zorba, numa flor desta terra e através dela chegue a capacidade de ser um Buddha, a flor de outro mundo. O outro mundo não está separado deste; o outro mundo não está contra este. O outro mundo está escondido neste. Este é somente uma manifestação do outro e o outro é a parte que se manifesta neste.

9.- Para mim, o primeiro fundamento da vida é a meditação. Todo o demais é secundário.

10.- A vida deve ser uma busca. Não um desejo, mas sim, uma busca; não uma ambição de converter-se nisto ou em outro, no presidente de um país ou num primeiro ministro, mas sim, uma busca para descobrir-se: "Quem sou eu?"

11.- A vida deverá ser uma celebração, um festival de luzes durante todo o ano. Somente então podes crescer, podes florescer. Transforma as coisas pequenas numa celebração.

12.- A vida não é um cárcere, não é um castigo. É uma recompensa que é dada somente àqueles que a tenham ganhado, aqueles que a merecem. Agora tens o direito de desfrutá-la. Seria um erro se nãop a desfrutasse-a. Irias contra a existência senão a embelezasse, se a deixares simplesmente como a encontrastes. Não deixá-la um pouco mais feliz, mais bela, mais flagrante.

13.- A vida consiste em explorar, em ir em direção ao desconhecido, em alcançar as estrelas! Seja corajoso e sacrifica tudo pela vida; nada vale mais que ela. Não sacrifiques tua vida por causa de pequenas coisas: dinheiro, segurança, estabilidade. Nada disso tem valor. Tens que viver tua própria vida tão intensamente como te seja possível, então, a alegria chega. Somente então, é possível uma desbordante felicidade. Aqueles que querem realmente viver tem que se defrontar com muitos riscos. Tem que adentrar-se mais e mais no desconhecido. Tem que aprender uma das lições mais fundamentais: que não existe casa, que a vida é um peregrinar sem princípio nem fim. Sim, existem lugares onde podes descansar, porém são simplesmente para passar a noite e a manhã seguinte tens que ir de novo. A vida é um contínuo movimento, nunca chega a nenhum final.

14.- Quanto mais profunda uma pessoa é em si mesma, mais madura. Quando alcança o centro de si mesma, de seu ser, alcança a maturidade perfeita. Para mim, "maturidade" é outro nome para "realização". Culminou-se o pleno desenvolvimento de seu potencial. O tens atualizado. A semente, traz consigo uma árdua viagem, até florescer. A maturidade carrega uma certa fragrância, acrescenta uma tremenda beleza para o individuo. Acrescenta-lhe inteligência, a inteligência mais aguda possível. Converte-lhe em puro amor. Sua atividade é amor, sua inatividade é amor. Sua vida é amor, sua morte é amor. És tão somente uma flor de amor.

15.- A vida em sua totalidade é uma grande piada cósmica. Não é um fenômeno sério; tomá-la seriamente seria perdê-la. É preciso compreendê-la através do riso. Não vou dar-te uma meta. Somente posso proporcionar-lhe uma direção, aberta - transbordando vida - e desconhecida - sempre surpreendente, imprescindível. Não vou te dar mapa algum. Somente vou te proporcionar uma grande paixão por descobrir as coisas. Sim, não necessitas de nenhum mapa; requer-se uma grande paixão. Logo te deixarei só. Então, te moverás por ti mesmo. Adentra-te no imenso, no infinito e, pouco a pouco, aprende a confiar nele. Abandona-te nas mãos da Vida.

16.- O conceito antigo do homem religioso é que ele está contra a vida. Ele condena esta vida, esta vida corrente; chama-a de mundana, profana, uma ilusão. Há censura. Eu estou tão profundamente enamorado da Vida que não posso censurá-la. Estou aqui para incrementar a possibilidade de senti-la.

OSHO

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Imagine


Imagine que não existe nenhum paraíso,
É fácil se tentares.
Nenhum inferno abaixo de nós,
Sobre nós apenas o céu.
Imagine todas as pessoas
Vivendo pelo hoje...

Imagine que não existiam países,
Não é difícil de fazer.
Nada porque matar ou porque morrer,
Nenhuma religião também.
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz...

Imagine nenhuma propriedade,
Eu pergunto-me se consegues.
Nenhuma necessidade de ganância ou fome,
Uma fraternidade de homens.
Imagine todas as pessoas
Partilhando o mundo todo.

Talvez digas que sou um sonhador,
Mas eu não sou o único.
E espero que algum dia te juntes a nós,
E o mundo viverá como um único.

John Lennon

sábado, setembro 02, 2006

Que somos nós?